Visite nossa galeria de fotos! E fique por dentro de tudo que rola na Oficina de Produção Textual: Tecendo Argumentos[...]

Esquema da Sequência Didática da Oficina: Tecendo argumentos [...]

Página reservada para as publicações dos artigos de opinião a serem produzidos pelos alunos.[...]

DEIXE SEU RECADO AQUI! Perguntas, dúvidas, críticas, não deixe de expressar sua opinião visite nosso bate papo![...]

Galeria de fotos da Oficina: Tecendo Argumentos Sequência didática Artigos de opinião Deixe seu recado!


AGRADECIMENTOS
Agradeço primeiramente a Deus pela dádiva da vida, pois sem Ele nada disso seria possível.
A minha família, em especial minha mãe, pelo grande incentivo, por todo o investimento, compreensão e crença em meu potencial e determinação.
Aos colegas: Ana Carla, Cristina Silva, Emias Oliveira, Eveline do Nascimento, Jonhnantan Santiago, Sérgio Freire, Suzane Dias, Vanessa Rodrigues, Vilene Gomes, Wagner Sombra e Wênia Keila pelas palavras de incentivo, pelo compartilhar de incertezas e angústias, por nossas vitórias e pela companhia durante esses quatro anos de graduação.
Aos meus amigos mais presentes e àqueles mais distantes. Pelo respeito, companheirismo e torcida. Pelo entendimento de que embora, muitas vezes, meus momentos produtivos tenham me mantido ausente das rodas de conversas e eventos comemorativos, em nada me impediram de estar com eles em meu coração.
Aos professores de outros tempos, aqueles que trago na memória e até mesmo os que por alguma razão foram sendo esquecidos. A eles agradeço por cada semente plantada, pelos elogios que me levaram a seguir adiante e repressões que me fizeram regredir para corrigir algumas falhas.
Aos professores de hoje, em especial à professora Ms. Kátia Cristina Cavalcante de Oliveira, minha orientadora, no sentido real da palavra, pela paciência transpassada em todos os momentos, por conduzir-me a caminhos mais seguros, por acreditar e aceitar uma ideia desafiadora, contudo possível. Ainda no campo de orientações não poderia deixar de mencionar e agradecer meu co-orientador, Professor Ms. Antônio Lailton Moraes Duarte, pessoa fundamental para a concretização dessa proposta e à Professora Ms. Ana Maria Pereira de Lima que incentivou a realização da pesquisa acreditando em minha capacidade de cumprimento.
A Escola de Ensino Médio Lauro Rebouças de Oliveira, na pessoa do Sr. Diretor Francisco Erasmo de Lima pela oportunidade concebida para a aplicação da presente  pesquisa, bem como, todo o apoio dado durante seu processo de realização. À professora Izaura Fernandes Feitoza pelo acompanhamento e apoio pedagógico oferecido, assim como a todos os demais que de alguma forma contribuíram para o andamento de nosso trabalho.
A todos os alunos participantes da Oficina de produção textual: Tecendo argumentos, com destaque para o aluno Igor Natanyo de Freitas Silva que elaborou o design final do blog Rio de Palavras, oceano de ideias.

Aos seguidores do blog.
Ao silêncio oportuno e às noites amigas...












"É uma corrente tão forte de amor e energia, que amor e energia brotaram dentro de mim até tornaram-se uma coisa só. O de dentro e o de fora unidos em pura fé. 

Caio Fernando Abreu.


Mais um capítulo está sendo encerrado. outros virão. Como disse minha amiga Lailsa ainda é preciso fôlego para enfrentar  essas "besteirinhas" de pós, mestrado,doutorado essas coisas, rsrs.
Apesar de desconhecido o caminho e dos tropeços pela inexperiência desta caminhante, foi muito válida a caminhada. Sei que fizeram barulho os meus passos. e por isso peço que me perdoem, mas não saberia sentir tantos sentimentos sozinha, à meia luz, no calor do meu quarto. Precisei de coragem para abrir as janelas e compartilhar com vocês minha insegurança, os passos enfalsos e os meus erros. Não o fiz por vontade de exposição, mas com humildade digo que talvez vontade de que eles possam servir de orientação para outros rumos.

' É bem verdade que minha monografia não é receita, mas quem sabe ela possa ser algum ingrediente?

Monografia concluída, enviada à banca, aguardando dia 02/02 para ser apresentada =)


Ganhei este selinho da Rosiane Braga do Blog  Só para mulheres, ou não?

Muiito obrigada querida!!!


Ele contém algumas Regrinhas:
1_ Repassar o selo a 15 blogs e avisar.
2_ Responder as perguntas:

Nome: Euridene Costa
Uma música: Lenine - É o que me interessa
Humor:  Sujeito a transformações.
Uma cor:Branco
Uma estação: Primavera
Como prefere viajar: Acompanhada deixando registrando os momentos.
Um seriado: 'Smallvile
Frase ou palavra mais dita por você: Meu anjo.
O que achou do selo: Adoreeeeiii! =)

Minhas indicações:

Quebrando essa regrinha gostaria de oferecer a todos os seguidores de agora  -  Os primeiros 50 seguindores

 
“Para você, desejo o sonho realizado. O amor esperado. A esperança renovada. Para você, desejo todas as cores desta vida. Todas as alegrias que puder sorrir. Todas as músicas que puder emocionar. Para você neste novo ano, desejo que os amigos sejam mais cúmplices, que sua família esteja mais unida, que sua vida seja mais bem vivida. Gostaria de lhe desejar tantas coisas. Mas nada seria suficiente... Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos. Desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto, ao rumo da sua felicidade”

Carlos Drummond de Andrade



É o mês de confraternização e agradecimento pela vida bênçãos ao filho de DEUS
União, amor, reflexão!
Que o bom velhinho traga um saco cheinho de paz,
harmonia, fraternidade
Que o gesto de ternura se estenda de várias mãos
Que ao som dos sinos
O amor exploda em toda direção!

FELIZ NATAL!
UM ANO NOVO DE FÉ E SUCESSO!


 Ulisses Tavares*

 

REVISTA

 

Edição do Ano I - Número 3:


           Calma, prezado leitor, nem você leu errado, nem eu pirei de vez. Este artigo pretende isso mesmo: dar novos motivos para que os moços e moças de nosso Brasil continuem lendo apenas o suficiente para não bombar na escola.
             E continuem vendo a leitura como algo completamente estapafúrdio, irrelevante, anacrônico, e permaneçam habitando o universo ágrafo dos hedonistas incensados nos realitys shows.
            (Êpa, acho que exagerei. Afinal, quem não lê, muito dificilmente vai conseguir compreender esta última frase. Desculpem aí, manos:  eu quis dizer que os carinhas, hoje, precisam de dicionário pra entender gibi da Mônica, na onda dos sarados e popozudas que vêem na telinha, e que vou dar uma força  pra essa parada aí, porra.)
            Eu explico mais ainda: é que, aproveitando o gancho do Salão do Livro Infanto-Juvenil, em novembro agora no Parque do Ibirapuera, Sampa, pensei em escrever sobre a importância da leitura. Algo leve mas suficiente para despertar em meia dúzia de jovens o gosto pela leitura (de que? De tudo! De jornais a livros de filosofia; de bulas de remédio a conselhos religiosos; de revistas a tratados de física quântica; de autores clássicos a paulos coelhos.)
            Daí aconteceram três coisas que me fizeram mudar de rumo e de idéia.
            Primeiro eu li que fizeram, alguns meses atrás, um teste de leitura com estudantes do ensino fundamental de uma dezena de vários países. Era para avaliar se eles entendiam de verdade o que estavam lendo. Adivinhem quem tirou o último lugar, até mesmo atrás de paizinhos miseráveis e perdidos no mapa mundi? Acertou, bródi: o nosso Brasil.
            Logo depois, li uma notícia boa que, na verdade, é ruim: o (des)governo de São Paulo anuncia maior número de crianças na escola. Mas adotou a política da não reprovação. Traduzindo: neguinho passa de ano, sim, mas continua tecnicamente analfabeto. Porque ler sem raciocinar é como preencher um cheque sem saber quanto se tem no banco.
            E, por último, li em pesquisa publicada recentemente nos jornais, que para 56% dos brasileiros entre 18 e 25 anos comprar mais significa mais felicidade, pouco se importando com problemas ambientais e sociais do consumo desenfreado. Ou seja, o jovem brasileirinho gosta de comprar muitas latinhas de cerveja, mas toma todas e joga todas nas ruas ou nas estradas, sem remorso.
            Viram como ler atrapalha?
            A gente fica sabendo de fatos que, se não soubesse, teria mais tempo para curtir o próprio umbigo numa boa, sem ficar indignado e preocupado com a situação atual de boa parte de nossa juventude.
            E também faz o tico e o teco (nossos dois neurônios que ainda funcionam no cérebro, já que se dividirmos o quociente de inteligência nacional pelo número de habitantes não deve sobrar mais que isso per capita) malharem e suarem, em vez de ficarmos admirando o crescimento do bumbum e do muque no espelho das academias de musculação.
            Por isso que, num momento de desalento, decidi que, de agora em diante, como escritor e professor, nunca mais vou recomendar a ninguém que leia mais, que abra livros para abrir a cabeça.
            A realidade é brutal e desmentiria em seguida qualquer motivo que eu desse para um jovem tupiniquim trocar a alienação pela leitura.
            Eu reconheço: a maioria está certa em não ler.
            E tem, no mínimo, 5 razões poderosas , maiores e melhores que meus frágeis argumentos ao contrário:
 1.      Se ler, vai querer participar como cidadão dos destinos do País. Não vale à pena o esforço. Como disse o Lula (que não teve muita escola, mas sempre leu pra caramba), a juventude não gosta de política, mas os políticos adoram. Por isso que eles mandam e desmandam há séculos;
2.      Se ler, vai saber que estão mentindo e matando montes de jovens todos os dias em todos os lugares do Brasil impunemente; principalmente porque esses jovens não percebem nem têm como saber (a não ser lendo) a tremenda cilada que é acreditar que bacana é mentir e matar também;
3.      Se ler, vai acordar um dia e se perguntar que diabo é isso que anda acontecendo neste lugar, onde só ladrões, corruptos, prostitutas e ignorantes, aparecem na mídia;
4.      Se ler, vai ficar mais humano e, horror dos horrores, é até capaz de sentir vontade de se engajar num trabalho comunitário, voluntário e parar de ser egoísta;
5.      Se ler, vai comparar opiniões, acontecimentos, impressões e emoções e acabar descobrindo que sua vida andava meio torta, meio gado feliz.
            O espaço está acabando e me deu vontade de lembrar que ninguém -nem mesmo alguém que não vê utilidade na leitura - pode achar que há um belo futuro aguardando uma juventude que vai de revólver pra escola e, lá, absorve não conhecimentos mas um baseado ou uma carreirinha maneira. Sim, é outra pesquisa que li, esta dando conta que sete entre dez estudantes brasileiros andam armados, três entre dez se drogam na escola, sete entre dez bebem regularmente.
            Mas paro por aqui já que, apesar destes tristes tempos verdes e amarelos (as cores do vômito, papito), lembro também de tantos poetas, jornalistas e escritores que, ao longo de minha vida de leitor apaixonado, me deram toques de esperança, força e fé na mudança.
            De um especialmente - o poeta Tiago de Melo - com seu verso comovido e repleto de coragem:
            “Faz escuro, mas eu canto!”
            Talvez meu pequeno cantar sirva de guia do homem (e mulher) de amanhã. E que, lendo mais, ele/ela evite de ter como única alternativa para mudar de vida dar a bunda (e a alma) ou engolir baratas (e a dignidade) diante das câmeras de televisão.


* Ulisses Tavares, escritor e professor, sempre leu muito. Não ficou rico com isso. Mas deixou de ser pobre de espírito rapidinho.

 


Ontem aconteceu o  encerra-se das atividades da VI Semana de letras da FAFIDAM  (Faculdade de Filosofia Dom Aureliano Matos), o evento  ocorreu no período de 16 a 19 deste mês. O tema  Rachel de Queiroz: um alpendre, uma rede e muita história, homenageou a grande escritora cearense Raquel de Queiroz, primeira mulher a assumir uma cadeira na Acadêmia Brasileira de Letras.
Segundo registro do  Blog da FAFIDAM foram   mais de 400 (quatrocentos) inscritos em palestras, minicursos, oficinas, apresentações de trabalhos e outras atividades culturais programadas especialmente para a ocasião.
 A semana contou com a participação de convidados ilustres como o escritor Sânzio de Azevedo entre outros.  O encerramento das atividades aconteceu com a peça de Teatral As Bondosas do Grupo Cia. Teatro Lua e um forrozinho pé de serra.
A FAFIDAM estava linda pela ornamentação e pela quantidade de gente. Foi um verdadeiro sucesso!


P.S: Postarei mais fotos logo que possível.

Olá queridos!
       Infelizmente tenho andado um pouco "distante" por conta de meus estudos. Estou no terceiro e último capítulo de minha monografia, na parte de análise dos dados. Por essa razão não tenho postado muito, tampouco visitado-os, mas em breve (assim espero) poderei está mais presente e conta-lhes as novidades, o novo projeto e outros planos. 

           Por enquanto tem sido assim: 

(risos)

Um grande abraço a todos!




As pessoas grandes adoram os números. Quando a gente lhes fala de um novo amigo, elas jamais se informam do essencial. Não perguntam nunca: "Qual é o som da sua voz? Quais os brinquedos que prefere? Será que coleciona borboletas?" Mas perguntam: "Qual é sua idade? Quantos irmãos ele tem? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai?" Somente então é que elas julgam conhecê-lo. Se dizemos às pessoas grandes: "Vi uma bela casa de tijolos cor-de-rosa, gerânios na janela, pombas no telhado..." elas não conseguem, de modo nenhum, fazer uma idéia da casa. É preciso dizer-lhes: "Vi uma casa de seiscentos contos". Então elas exclamam: "Que beleza!

(Antoine de Saint-Exupéry)

Tenho pensando muito sobre tudo isso, sobre essa importância demasiadamente interessada por coisas, fatos e pessoas que na essência não são  interessantes. 
Das minhas reflexões surgiu a vontade de deixar aqui para vocês esse post (para que também reflitam).
As transformações têm ocorrido rápido demais. E alguns questionamentos são relevantes: Qual é o rumo que estamos seguindo? O que consideramos essencial para nossas vidas?



 Um ótimo final de semana a todos!


O homem tem destruído muitas coisas... agora o alvo é o  amor.
Tem  se tornado mais "educado", mas uma educação falsa de BOM DIAS e EU TE AMO!
Assim, eles (nós) vamos acabando com o que nos é tão essencial: ar, terra, amor...
Às vezes me pergunto: os seres humanos se diferenciam dos outros animais em que mesmo, hein?


.
Tire sua dúvida:
.
.

'Ele entendida das coisas!

'Ele entendida das coisas!
"O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é CORAGEM..(Guimarães Rosa)
.
.

'Outros caminhos... outras histórias...

' Filmes

Loading...