Visite nossa galeria de fotos! E fique por dentro de tudo que rola na Oficina de Produção Textual: Tecendo Argumentos[...]

Esquema da Sequência Didática da Oficina: Tecendo argumentos [...]

Página reservada para as publicações dos artigos de opinião a serem produzidos pelos alunos.[...]

DEIXE SEU RECADO AQUI! Perguntas, dúvidas, críticas, não deixe de expressar sua opinião visite nosso bate papo![...]

Galeria de fotos da Oficina: Tecendo Argumentos Sequência didática Artigos de opinião Deixe seu recado!

XENOFOBIA - O caso Mayara Petruso

 Observação inicial: O post não tem nenhuma preteção de levantar bandeira em relação ao assunto que irá expor,embora seja invenital que apresente certo nível de valor de juízo em minhas palavras a intenção é apenas atualizar o blog com mais uma notícia polêmica, que a meu ver, é uma representação clara do surgimento de uma discussão em virtude da colocação de uma ingnorante(desconhecedora do assunto) que resolve da sua opinião, mas não sabe argumenta e por essa razão apela para a baixaria, chamando a atenção para aquilo que não lhe é em nada positivo.

"Em geral as pessoas brigam porque não sabem argumentar".
(Gilbert Keith Chesterton )
 
Não quero dizer aqui que o que esteja faltando ao caso seja apenas a formulação de argumentos (e que estes existem), na grande verdade o que falta é bem mais complexo, no entanto, gostaria de frisar que é preciso conhecer para poder falar. Provalvemente se a protagonista dessa história tivesse o conheciento do poder da palavra e o entendimento  de direitos, buscaria fatos, dados, informações que pudessem comprovar seu posicionamento e assim, teria sido quem sabe mais feliz, porque não encontrando-os poderia ter ficado calada e isso evitaria o holofote em cima de suas imperfeições.

Vamos a polêmica:

Após a eleição de Dilma Rousseff (PT), no domingo do dia 31 do mês passado, um assunto ganhou forte repercusão tanto na internet  quanto na impresa nacional e internacioal.
A polêmica surgiu quando a estudante de Direito Mayara Petruso, 21, postou  em seu twitter e facebok comentários preconceituosos contra nordestinos. 
 
 Fotos extraídas do blog de Renato Rovai

Sua insatisfação/revolta com os resultados das urnas  repercutiu em todos os meios de comunicação e agora o caso está sendo resolvido na justiça. 
Os "xingamentos" de  Mayara Petruso ganharam destaque, mas sabemos que ela não é a  única a ter essa visão ERRÔNIA da região do norte do Barsil, muitas outras pessoas não esclarecidas da parte do sul do país, infelizmente, sentem-se superior ao povo nordestino.  Precisamos lembrar aqui dos ataques e plasfêmias publicados por revistas e jornais de renome em nosso país que  virtude da campanha eleitoral (não sendo esta a origem dessa descriminação, pois as mesmas são de longa data)  ofenderam descaradamente o povo nordeste.Alguém os condenou?
Os comentários têm provocado indignação e revolta. No entanto,  os nordestinos (e aqueles que conhecem nossa cultura) têm respondido as provocações a nível da educação e respeito, rebatendo as provocações com a exposição das contribuições dadas para o desenvolvimento do nosso país. Pois certamente essas pessoas que compartilham da visão da jovem universitária não conhecem a cultura do Brasil, não devem gostar de shows, teatro, literatura, artesanato, culinária e assim por diante... Gabam-se da posse de um  diploma, crítica-se a ausência de um, mas esquecem que este nada mais é  que um papel que pode ser sim a representação de conhecimento adquirido, mas também pode ser a simplismente representação de poder (que não está necessariamente ligada a inteligência), ao caráter, a formação humana . Provavelmente tais pessoais desconhecem  Howard Gardner (1985) e da teoria das multiplas inteligências, não devem saber o significado real de palavra como:  conquista, garra e determinação.




As notícias fizeram-me refletir sobre o seguinte questionamento: Até onde vai a nossa liberdade? Sempre acreditei e defendi a ideia de que a minha liberdade só vai até o outro, o meu limite está no respeito ao meu semelhante, existe uma linha imaginária entre mim e os outros, uma políticas de convivência e educação humana. Não deve-se confundir liberdade de expressão com direito inviolável de sair por ai falando qualquer coisa de qualquer maneira. Pois nossas palavras são o reflexo fiel do que somos. Lamentavelmente Mayara foi EXTREMAMENTE infeliz em suas colocações, certamente porque é (ou está passando por um momento) muito infeliz.
Sua retalhação não modifica em nada seu crime (seria apenas um erro?) , uma vez que palavras depois de pronunciadas não são simplismente apagadas, pois sua carga ideologica não é esquecida. Talvez você se pergunte: e porque essas novas palavras não podem modificar as anteriores? Porque agora outros fatores são influentes.

Ela declara:

“MINHAS SINCERAS DESCULPAS AO POST COLOCADO NO AR, O QUE ERA ALGO PRA ATINGIR OUTRO FOCO, ACABOU SAINDO FORA DE CONTROLE. NÃO TENHO PROBLEMAS COM ESSAS PESSOAS, PELO CONTRARIO, ERRAR É HUMANO, DESCULPA MAIS UMA VEZ.”

http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=12597703422788743877 

Vivemos ainda em uma ingorância de justificar o que não funcionou, aquilo que resultou no fora do previsto, nossas falhas e até os crimes com a frase: "Errar é humano". É verdade, somos seres humanos e estamos propícios aos erros, mas é preciso que saibamos suas consequências  para que possamos nunca mais cometê-los e para que  possamos deixá-los como exemplos.


Como nordestina que sou digo apenas que devemos está informados a respeito do caso , não precisando usar de mesmas armas em relação a essa triste realidade, pois decência e respeito são características típicas daqueles que mais que estudo têm educação.

As notícias correm o mundo:

Segundo a fonte site correiros 24horas o portal do jornal inglês Telegraph publicou uma matéria sobre os riscos da estudante ser presa após os comentários preconceituosos postados no Twitter. O jornal faz um resumo do caso, com destaque para a notícia-crime apresentada ao Ministério Público Federal pela Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco. O site divulgou imagem do Facebook de Mayara, onde ela questiona o direito de voto dos nordestinos.
No primeiro parágrafo diz: “Mayara Petruso usou as redes sociais para culpar o povo em extrema pobreza do Nordeste do Brasil pela eleição de Dilma Rousseff”.


O assunto tem promovido algumas campanhas de compate a xenofobia http://xenofobianao.tumblr.com/

E o que é mesmo xenofobia?

"Xenofobia é uma palavra de origem grega que significa antipatia ou aversão a pessoas e objetos estranhos. O termo tem várias aplicações e usos, o que muitas vezes provoca confusões em relação ao significado. A xenofobia como preconceito acontece quando há aversão em relação à raça, cultura, opção sexual, etc."
 Por Eduardo de Freitas/ www.brasilescola.com

O fato existe e é necessário que a questão seja discutida com maturidade e bom senso. O caso servir  de alerta para uma série de temas relevantes como: o preconceito, o narcismo, a liberdade de expressão entre outros.
Desejo sinceramente que a situação seja resolvida da melhor maneira, da forma mais justa. Penso que Mayara (como outros) precisa aprender com seu erro humano, pois só assim será evitado que o mesmo erro aconteça novamente. A nós é importante a sabedoria do julgamento.


"Ser Nordestino é um privilégio que eu não específico para não fazer inveja aos que não gozam dessa felicidade". 
Rachel de Queiroz

Vejam só como são carregadas de ideologias nossas palavras, para quem iniciou o post esclarecendo que não tinha pretensão de posicionar-se, falei sim o que penso e espero ter sido coerente em minha rápida explanação.

 

Divulgue esse post

Digg it StumbleUpon del.icio.us Google Yahoo! reddit

2 comentários:

AC

É bom que estas questões venham ao de cima, se debatam, pois não é de bom augúrio que um país se queira erguer escondendo debaixo do tapete aquilo que, supostamente, ainda o divide. E, quanto a isto (em qualquer parte do mundo) ainda há tanto caminho a percorrer!

beijo :)

juliana

sua baranga a gente nâo aceita as sua desculpas mayara petruso

Postar um comentário

.
Tire sua dúvida:
.
.

'Ele entendida das coisas!

'Ele entendida das coisas!
"O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é CORAGEM..(Guimarães Rosa)
.
.

'Outros caminhos... outras histórias...

' Filmes

Loading...